Deveria existir o Membro Honorário?

Em algumas associações existe a figura do “membro honorário”. Trata-se geralmente de um membro que não preenche os requisitos para ser um membro regular e que, por isso, lhe é fornecido pela associação esse título, geralmente como reconhecimento de sua contribuição significativa para a Associação.

Você concorda com a existência desse título? Se sim, para quem poderia ser dado esse título e como deveria ser o processo para definir se uma pessoa deveria ganhá-lo?

Uma idéia inicial para o reconhecimento do mérito:

Processo para concessão do título: Necessária a assinatura de pelo menos 100 membros em uma requisição ou a aprovação de um percentual mínimo de membros em uma votação online. Tal reconhecimento seria publicado em uma Galeria de Honra da Associação, contendo o nome da pessoa e a contribuição feita por essa pessoa para a Associação e/ou  para o IME. Tal processo seria conduzido e validado pela Diretoria da Associação.

Qual a sua opinião sobre isso?

About these ads

Sobre Time De Projeto
Projeto de Criação da Associação de Ex-alunos do IME.

9 Responses to Deveria existir o Membro Honorário?

  1. Gustavo - COMPUTACAO95 disse:

    Concordo com a existência de sócio honorário.

    Não concordo com requisitos para concessão que incluam valores absolutos. Acho melhor requerer a aprovação de um percentual dos membros regulares (sugestão: 20%).

    Sugiro condução e aprovação sendo feitas pelo conselho deliberativo.

  2. 01 – Concordo com a existência do sócio honorário.
    02 – Concordo com a existência do critério valor absoluto ou com valores percentuais menores. Imagino que precisamos sempre de pessoas que estejam dispostas a somar/agregar forças para que projetos saiam do plano das ideias para o papel e depois para o mundo real. Dificuldades para a entrada dessas pessoas não traz nenhum benefício ao grupo.
    03 – Acredito que o grupo deve conceder tal título para pessoas que colaborem com a Associação/associados e não como um prêmio de caráter apenas “político”.

  3. leomes disse:

    Só concordo em dar esse título para membros da associação, como reconhecimento pelos relevantes serviços prestados.
    Para quem é de fora da Associação, não precisaria se tornar membro e sim ser homenageado pela Associação.

  4. Considero a existência do “membro honorário” uma excelente iniciativa, e que traz basicamente 2 benefícios: (1) homenagear um ex-aluno do IME de grande destaque (para o Instituto ou para o País) e (2) alavancar nossa associação: dar visibilidade, abrir portas etc.

  5. ranierifc2001 disse:

    Concordo com a existência do Membro Honorário. Creio que aquele que teve uma contribuição significativa para a Associação mereça ser reconhecido e poder ser como membro (e não apenas um prêmio). A diferença é que ele seria um membro com prerrogativas limitadas. Creio que não é o caso falarmos em “facilidade” ou “dificuldade” para a entrada na Associação. Ela é de alunos e ex-alunos do IME e quem for Membro Honorário, assim será porque contibuiu com a Associação e nós o julgamos merecedor e não “porque ele quis ser membro”. Quanto ao critério de concessão, concordo com o Gustavo.
    Ranieri – FC2001

  6. Concordo com a existência de Membro Honorário, mas acho um pouco cedo definirmos os detalhes das regras para a sua eleição, pois por exemplo o o número mínimo de votos depende de quantos alunos ativos a associação terá.
    L’Hotellier – COMP2008

  7. O ponto do Clayton é muito interessante. Não necessariamente o membro honorário terá acesso aos recursos que todos membros regulares terão, mas acredito ser importante termos esse reconhecimento. Um empresário que invista em nossa Associação passará a ser reconhecido como “membro honorário” traz visibilidade para a mesma. Imagine podermos divulgar que um empresário famoso (imagine qualquer um!) foi reconhecido por sua “doação significante para a associação”. Isso traria reputação e reconhecimento.

    Fernando – COM2005

    • leomes disse:

      Só cuidado com esses termos de “doação”. Isso pode abrir precedentes para no futuro qualquer um chegar e comprar o título de membro honorário.

  8. Ermirio SC disse:

    Pois é, concordo com o colega que falou em ser membro, ou seja, ser formado pelo IME. Assim diminuímos a janela para indicações políticas. Lembrem-se que uma associação pode ser bem presidida agora, mas nem tanto no futuro. Se não ficar bem amarrado poderemos leiloar títulos no futuro através de pessoas não tão bem envolvidas com o processo. Acho válido o título, oportuna a existência de homenageados e por isso válida a discussão. Os detalhes, acho que podem ser acertados a posteriori mas já deve constar no documento inicial quando essas questões deverão ser resolvidas.

    Ermírio – Carto/1997

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: